Grito Número Cento e Vinte e Quatro:

domingo, 4 de setembro de 2011


NÃO EXISTE MAIS SORRISO, NEM EM ESTOQUE, NEM PLÁSTICO

Passei em frente a uma loja de máscaras na Domingos de Morais, esquina com a Praça Dr. Vidigal.
Entrei para admirar as máscaras somente, sem pretenção de comprar nada, até porque não tinha dinheiro para gastar com máscaras num final de mês de agosto.
Depois de alguns minutos, a atendente da loja pergunta:

- Procura algo em específico?
- Quero uma máscara com um sorriso bonito. - respondi.
- Hmmm... sorriso bonito. Não tenho nada assim agora. O que tem está aí pendurado.

Monstros dentuços, bruxas banguelas, múmias, políticos, gatos, galinhas, macacos, caveiras...

- Por que você não leva uma máscara branca e pinta o seu sorriso?
- Eu não sei pintar sorrisos.
- Então leva uma de monstro, vai ficar legal!
- De monstro eu já tenho várias e não tiro nunca. Queria uma que fosse diferente...
- (...) Volta no começo do mês, vou ver se te arranjo um sorriso.
- Migalha eu não quero. - pensei comigo, sem dizer.

Segui pela Domingos de Morais procurando um sorriso de qualquer estranho e fiquei no Largo Ana Rosa, mas só passavam por mim bocas sérias e fechadas...

3 comentários:

Mariana Bisonti disse...

Tenho quase certeza que tinha mais uma frase no final..Que por sinal eu tinha achado muiito boa.. Cadê?

Dan Arsky Lombardi disse...

Era o título! =P

Monique Burigo Marin disse...

Lindo, lindo, lindo!
O que me tira o sorriso do rosto é o ar reprovador de quem me vê sorrir sozinha.