Grito Número Cento e Vinte e Um:

segunda-feira, 29 de agosto de 2011


CAFÉ DOCE, AÇÚCAR TRISTE

Enquanto não chegava a hora do compromisso, me sentei em uma tradicional "padoca" em uma travessa da Domingos de Morais.

- Um café puro, por favor.

Como é bonito um copo americano de café no balcão de granito.
Como são bonitas as laranjas penduradas que convidam o paulistano a entrar e tomar
suco no café da manhã.

- Odeio café com açúcar!
- Você não sabia que tinha? - perguntou o balconista.
- Sabia sim. - respondi.
- E então?
- É que eu gosto de sofrer.
- Fala sério, seu doido! - disse o balconista com tom jocoso.
- Olha como o copo é bonito... ele me deixa menos triste. Mas beber essa coisa doce me devolve a toda a tristeza.
- (...) (sorriso amarelo)
- Fico na mesma que os outros, que estão tomando suco de laranja ou comendo pão com manteiga. É só um café.
Nem feliz, nem triste. Só estou tomando café da manhã.
- Deu mil e oitocentos, amigo. O café, o cigarro e a bala de hortelã.
- Fica com o troco.

E saí para tentar (em vão) chorar sozinho no Largo Ana Rosa.

1 comentários:

Patrícia Lemmon disse...

Odeio café com açúcar!
- Você não sabia que tinha? - perguntou o balconista.
- Sabia sim. - respondi.
- E então?
- É que eu gosto de sofrer.

Adorei! hahaha