Grito Número Cento e Quarenta e Cinco:

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

SOBRE TIRAR LIÇÕES DE FORÇA NO ASSASSINATO DE RASPUTIN

Sempre que leio, me espanto com o assassinato de Grigori Rasputin. De conselheiro do Czar a presunto russo.
Segundo a lenda, o poder de hipnose e controle da mente do místico de Petrogrado (atual São Petersburgo) era tão forte, que mesmo após se empanturrar com um jantar envenenado, não sentiu nem mesmo um mal-estar. Há quem diga que uma úlcera no estômago o salvou, mas a versão do controle da mente é mais interessante e instigante.
Após a tentativa falha de ser envenenado, fora fuzilado com onze tiros, que ainda assim não foram suficientes: o homem levantou.
Cansados e apavorados, espancaram-no até Rasputin ficar inconsciente, quando o jogaram desmaiado e de mãos atadas nas águas gélidas do rio Neva. Assim, não há poder da mente que aguente. O poder da mente era agora um pequeno pedrisco de gelo.
Não sei o quanto disso é lenda e quanto é fato. Não importa, o que vale é pensar no vigor e na força do personagem, e só. Um personagem ímpar e inabalável, nem mesmo por veneno ou tiros de fuzil.
E eu sofrendo por algumas palavras que me foram ditas...


4 comentários:

Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marina Sena. disse...

é, às vezes sofremos pelo que é pequeno demais...

se isso te consola, eu também.


até.
bjo, bjo, bjo...

Iguimarães disse...

" vaso ruim não quebra"
nada mais perfeito
bela crônica!

mfc disse...

Há muito de mistério e lenda a envolver o personagem!
É difícil saber a verdade.