Grito Número Cento e Cinquenta e Dois:

domingo, 15 de janeiro de 2012

ADAGA E ESPELHO

Estava por baixo, tudo azul de tristeza e problemas.
Era um homem bom, não poderia sofrer sem motivos, a culpa era de alguém, era a hora de lutar.
Pegou o papel, já amarelado pelo tempo e passou a vista pela lista dos culpados de suas escaras.
O único nome em sua lista negra era o seu próprio nome.
E deu início ao combate mais árduo de todos os tempos.

4 comentários:

Andressa disse...

Como fugir do clichê e não sentir que somos o 'nosso maior inimigo', quando qualquer pensamento, qualquer sentimento que podemos chegar a ter é capaz de se virar contra nós mesmos e transformar coisas que um outro estranho talvez nunca fosse capaz? Nosso lobo interior é a pior das feras.

mfc disse...

Espero que saia vencedor desse combate decisivo.

Andressa disse...

Não se pode fugir do clichê, quando a verdade é que somos o nosso maior inimigo. Nenhum outro estranho será, jamais, capaz ser tão nocivo para nós quanto podemos ser. O ringue é um labirinto sem fim, e todos (mesmo que só haja um) sairão feridos.

Marina Sena. disse...

sempre achei que a tristeza fosse azul.

até.
bjo, bjo, bjo...